pra não ficar na gaveta

domingo, março 08, 2009

 

dois irmãos

não sei qual força mantém
as montanhas firmes
(talvez se olharmos
com muita atenção é capaz
de flagrarmos
uma leve respiração
um suspiro)
só sei que à noite,
quando o escuro
não se preocupa em contornar
os morros, esses gigantes
se mexem um dedinho
para o lado – as pedras
também têm seus caprichos

Comentários:
Uma nuance que transborda coração desenhado
Desabrochando petalas flutuantes no mar estação
 
lindo!
 
"não sei qual força mantém
as montanhas firmes"
e eu que rabisquei frases com o mesmo sentido tantas vezes pelos meus vagos caderninhos...
acho que seu texto tem uma intertextualidade com meus pensamentos... os leio e lembro de coisas que já pensei por muitas vezes... "uma leve respiração, um suspiro" lembrei de uma vez que pensei a frase (que encontrei em outros textos muitas vezes depois) "reparem só os mortos, parecem respirar".
Não sei porque leio seus belos poemas e penso nos meus obscuros pensamentos, mas a capacidade deles de me interiorizar é boa... carrega minha angústia por uns dias...
 
O que essa pedra me diz
ereta diante do mar
de dentro da tarde gris
o que essa pedra me traz

O que essa pedra me traz
memória remota de infância
que rebrilha oculta onde jaz
o que essa pedra me diz

(...)

Dado
 
é aí que está o charme de tudo: nos caprichos.
 
Olá, este seu poema me deu um empurrão para fazer um sobre Laranjeiras.
Gracias!
 
Alice,

Tudo bem? Espero que sim. Preciso falar com você sobre um assunto que talvez lhe interesse. Pode me mandar um email? O endereço é igor.barbosa arroba gmail ponto com

Fico no aguardo.

Igor
 
liiindo esse, lico. mesmo.
beijo!
 
Este comentário foi removido pelo autor.
 
como dizia McLaren : "se você não roubar as coisas que percebe a sua volta, só porque elas a inspiraram, então você é um estúpido. O mundo é feito de plágios."


exatamente como na música dois irmãos de Adriana Calcanhoto- Fábrica de poemas.
 
Lindinho, Alice! Gostei muito da palavra repouso também.
Saudade de vc, estive ontem na Argumento e lembrei daquela época que trabalhamos juntas! A vida era tão mais simples...
beijos mil
 
'as pedras também têm seus caprichos'

as vezes param no meio do caminho de um poeta só para incitar um poema ;-)

Gostei do teu trabalho que conheci no sarau do Palavra Encantada. Parabéns.

Poetabraços

Clauky Saba
 
Olá!

É minha primeira vez por aqui.

A noite tem mesmo o poder de dar chance a coisas incomuns.
Bela a sua voz.

Beijos!
 
q lindo,alice! suave como o a voz de tom jobim;)

bjs=*************
 
Alice,

que poema catártico pra quem ve o que voce ve pela janela!

mil beijos
 
Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]





<< Página inicial

Arquivos

Março 2006   Abril 2006   Maio 2006   Junho 2006   Julho 2006   Agosto 2006   Setembro 2006   Outubro 2006   Novembro 2006   Dezembro 2006   Janeiro 2007   Fevereiro 2007   Março 2007   Abril 2007   Maio 2007   Junho 2007   Julho 2007   Agosto 2007   Setembro 2007   Outubro 2007   Novembro 2007   Dezembro 2007   Janeiro 2008   Fevereiro 2008   Março 2008   Abril 2008   Maio 2008   Junho 2008   Julho 2008   Agosto 2008   Setembro 2008   Outubro 2008   Novembro 2008   Dezembro 2008   Janeiro 2009   Fevereiro 2009   Março 2009   Abril 2009   Maio 2009   Junho 2009   Agosto 2009   Setembro 2009   Outubro 2009   Novembro 2009   Dezembro 2009   Janeiro 2010   Fevereiro 2010   Março 2010   Abril 2010   Maio 2010   Agosto 2010   Junho 2011   Dezembro 2011  

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Assinar Postagens [Atom]