pra não ficar na gaveta

sexta-feira, junho 30, 2006

 
quando faltou luz
ficou aquele breu e eu
com as mãos tremendo
morta de medo
de tudo se iluminar
de repente.

segunda-feira, junho 26, 2006

 
Não consigo definir esse instante
Misto de êxtase com você sabe
De repente uma tempestade que
Transborda
O encontro inevitável
Às cinco da tarde em frente ao relógio da esquina com um senhor de óculos uma
mulher que carrega compras três estudantes de mochilas e uniformes muitos carros que
avançam o sinal amarelo e você
Tão disperso
Nem adivinha a minha fissura.

quinta-feira, junho 15, 2006

 
tempestade por dentro
o corpo espalhado
sob o sol
nem parece que tem
sombra
a pele quente lá pelas tantas
anuncia
meio-dia.

quarta-feira, junho 14, 2006

 

Mal paga

Triste te ver tão mal paga, desprezada, topando.

Banco de trás do carro, você não era assim. Senta no vaso em banheiro público que é pro tempo passar depressa – e essa pressa, de que te serve? -, sentindo dor que não sabe de onde vem. Do coração, ah não, e ainda por cima virou brega? Romântica, platônica?

Você não sabe de nada. Com uma chave ou moeda você rabisca na porta da cabine uma frase. Dá tanto trabalho talhar a madeira, mas isso não te incomoda, você reforça até que a letra fique bem marcada. Pornografia, não, filosofia, não, poesia? Você não era assim, clichê.

Conhece gente nova e logo se afoba: quer inventar outra vida, outro nome, outros dias. Não essa pele gasta, cheiro de moeda, uma vontade de perfume, sapatos. Gostaria de ter um passado, viagens, postais?

Mas você não se lembra de nada. E é por isso que tira fotografias em frente ao espelho, posando com caras caras, saboneteiras, porque tem medo de esquecer? Tem medo de se esquecer? Você tem medo é de tudo, é de monstro debaixo da cama, é de reflexo.

Já disse que não adianta. Que daqui a pouco amanhece, alguém entra no banheiro e adivinha dois pezinhos tortos, e são os seus. Vão bater na porta, dizer que a boate está fechando, vá para casa, menina, já faz dia. E você nem te ligo, vão ter que me tirar à força?

Vão te tirar à força. E não serve em nada gritar, espernear, que aí te chamam de louca, vem polícia, vem repórter, vejam só, a menina endoidou, pirou de vez.

Desiste que tem gente esperando.

domingo, junho 11, 2006

 

À mostra

O sorriso dele é largo pros lados. Essa luz é muito dura, ela bate e fura, o rosto cheio de imperfeições, marcas da adolescência. Ele olha tão fixamente que não sei se é espasmo, eu sempre relutante com o rosto baixo. Ele põe a mão sobre a minha e sorri com muitos dentes, ele aproxima o rosto, mas eu morro de medo, prefiro disfarçar a ter que encarar com a cara toda, essa luz brusca, o lugar cheio de gente, os meus braços à mostra.

Não sei por que insistir nisso.

Dessa vez mudo o convite e vôo pra cima sem olhar para os lados, sem nem me preocupar com os grampos pendurados nos cabelos, esse fiapo de noite pendente que depois a gente assina num diário e esquece, eu me debruço sobre a mesa e deixo de lado as mesuras.

E o seu espanto.

sexta-feira, junho 09, 2006

 

Sonho que ouvi

Eu nunca vi o mar. Morro de curiosidade em perder os olhos num horizonte que de tão longe dá pra ver a curva do planeta, por onde a água desliza. Na noite passada, sonhei que eu molhava os pezinhos nas primeiras ondas, e depois mergulhava de cabeça e de corpo inteiro. Em rápido movimento, nadava até a última linha que separa o mar do céu, a água do ar, o azul do azul escuro. E então eu caia em rodamoinho, porque lá é onde a Terra acaba, e depois não tem continente, oceano, nem Japão: só espaço sideral, onde o horizonte se encurva e eu caio do pico do mundo.

Arquivos

Março 2006   Abril 2006   Maio 2006   Junho 2006   Julho 2006   Agosto 2006   Setembro 2006   Outubro 2006   Novembro 2006   Dezembro 2006   Janeiro 2007   Fevereiro 2007   Março 2007   Abril 2007   Maio 2007   Junho 2007   Julho 2007   Agosto 2007   Setembro 2007   Outubro 2007   Novembro 2007   Dezembro 2007   Janeiro 2008   Fevereiro 2008   Março 2008   Abril 2008   Maio 2008   Junho 2008   Julho 2008   Agosto 2008   Setembro 2008   Outubro 2008   Novembro 2008   Dezembro 2008   Janeiro 2009   Fevereiro 2009   Março 2009   Abril 2009   Maio 2009   Junho 2009   Agosto 2009   Setembro 2009   Outubro 2009   Novembro 2009   Dezembro 2009   Janeiro 2010   Fevereiro 2010   Março 2010   Abril 2010   Maio 2010   Agosto 2010   Junho 2011   Dezembro 2011  

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Assinar Postagens [Atom]