pra não ficar na gaveta

quinta-feira, outubro 26, 2006

 
a primavera não se dilui
nem mesmo através
da cortina de pano

inútil essa tarde
de quarta ou quinta-feira? você
com olhos de sono
quinquilharias orientais
chão de taco
parece até feriado
em outro país

domingo, outubro 22, 2006

 
o gato me olha sonolento,
perto dele nem sei quem
se arrepia mais: eu
ou ele, com as retinas
grudadas no espelho: ele
em mim, enquanto me
curvo para tirar os
brincos, já é cedo e
o gato se assusta quando
olho cara a cara, desafio
na contramão, enfrento
os bigodes mas ele
se esquiva, orelhas
dispersas feito radares
rondando, não: atentos
na visão panorâmica,
o gato finge concentração.

segunda-feira, outubro 16, 2006

 
e se seguro o ar por muito tempo é capaz
de perder a respiração

agora me despeço como quem segue
em viagem, passageiros a bordo
de um enorme vagão. Aceno na janela
e prometo que telefono
que volto nas férias de verão
que sinto sua falta após as refeições.
Já você não se preocupa
se me convence, de pé
na plataforma sem levantar
lencinho ou suspeita
de lágrima

uma vez me disseram
que a gente pode esquecer de
tudo, tudo mesmo. Se me esqueço
da língua materna, deixo de sentir
saudades também?

terça-feira, outubro 10, 2006

 
pássaros migrando em bando
para o sul

você
acompanha o vôo com o dedo indicador
às vezes fica tão imerso que parece
voar também

meditação:
é quinta-feira bem cedo, feriado dos santos
e nos bancos da frente os adultos
ouvem rádio, conversam

você é novo demais para dirigir ou
ler jornal ou saber quanto custa o salário mínimo
tudo isso é caricatura
quando se está amolecendo

o dente de leite
suspenso por um fio
cordão umbilical
que de repente se desprende e aquele susto: mãe!

na fazenda tem ovo quente, rocambole de goiabada
ponte que cruza o rio, mosquito às cinco da tarde
quarto com fantasma dos bisavós e escorpião
travesseiro de macela, meias de lã, vaga-lume
e céu azul.

quarta-feira, outubro 04, 2006

 
de novecentos e vinte e cinco
rolos de filme, alguns clichês: françoise
arruma as malas para vir me visitar
em paris, diz que gosta daqui só no inverno
no verão fica quente demais e os pés
incham. curativo nos dedos
um beijinho que sara, françoise
carrega a sua câmera por todos os cafés
da cidade, pede o menu e sorrateira vai
ao banheiro, grande admiradora
de azulejos e sabonetes. fotografa
também o croque madame, já na mesa
quando ela retorna, fura a gema
com o garfo e acha muita graça no
amarelo colorindo pão presunto prato.
françoise faz origami com o guardanapo, monta
na bicicleta e acompanha a velocidade
dos carros, aperta botões um cinco três oito
senha correta e a porta se abre num plec,
françoise sobe as escadas chardon lagache
92 revestidas de carpete, papel de parede
creme, e despeja sacolas no sofá.
françoise sempre diz que teve um dia
e tanto.

Arquivos

Março 2006   Abril 2006   Maio 2006   Junho 2006   Julho 2006   Agosto 2006   Setembro 2006   Outubro 2006   Novembro 2006   Dezembro 2006   Janeiro 2007   Fevereiro 2007   Março 2007   Abril 2007   Maio 2007   Junho 2007   Julho 2007   Agosto 2007   Setembro 2007   Outubro 2007   Novembro 2007   Dezembro 2007   Janeiro 2008   Fevereiro 2008   Março 2008   Abril 2008   Maio 2008   Junho 2008   Julho 2008   Agosto 2008   Setembro 2008   Outubro 2008   Novembro 2008   Dezembro 2008   Janeiro 2009   Fevereiro 2009   Março 2009   Abril 2009   Maio 2009   Junho 2009   Agosto 2009   Setembro 2009   Outubro 2009   Novembro 2009   Dezembro 2009   Janeiro 2010   Fevereiro 2010   Março 2010   Abril 2010   Maio 2010   Agosto 2010   Junho 2011   Dezembro 2011  

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Assinar Postagens [Atom]