pra não ficar na gaveta

domingo, abril 30, 2006

 

Fantasia

Por você, eu não me incomodaria em ficar sempre por perto, de bico fechado, me oferecendo para ventilar, vai mais um cafezinho, se for preciso limpo o chão. Não. Amélia demais. Por você eu viro só riso, visto as roupas mais lindas pra impressionar, ajeito o penteado em movimentos estudados, elegante assim. Não. Por você sou desgrenhada, caninos à mostra, vestido de fendas, risada rouca, um pouco amarga. Já sei: por você eu sou carnaval o ano inteiro, fadinha muito mansa ou foliã enlouquecida, mímico ou palhaço de nariz vermelho. Confetes nos cabelos.

terça-feira, abril 25, 2006

 

Clavículas

Ele segura minhas clavículas e puxa com muita força, como se fosse me arrancar pelos ganchos, como se os meus ossos fossem uma arquitetura que ele precisa dominar por completo. A mão dele aperta a minha pele, ele reclama desse tecido que sobra, ele me quer sempre magra, ele gosta de mim com pontas.

Depois parte sem dizer uma palavra. Assim como é violento e não gosta de conversa, ele também é frágil. Escapa sem que eu perceba, fecha a porta em movimentos inaudíveis, e nunca mais aparece. Não sei seu telefone, onde mora, se tem amigos. Quando nos encontramos, não registro nenhuma ordem coerente para depois seguir os passos, como uma beata, voltando para o mesmo lugar, na mesma hora, com a mesma roupa.

Assim que ele se vai, sinto que estou acordando de um sono estranho. Acendo todas as luzes do apartamento, com medo de escuro, e visto casacos. A boca roxa de frio. Começa uma tremedeira, perco o apetite, tenho vontade de passar a semana inteira espalhada pelo carpete sem falar com mais ninguém.

Assim que ele se vai, inicio uma busca apurada. Procuro atrás das estantes, na cômoda, atrás do papel de parede, embaixo do piso, entre os móveis, no cheiro das roupas, debaixo das unhas. Qualquer indício de que aquilo foi real me serve, qualquer marca no corpo é motivo para exibir pelas ruas como troféu, como jóia preciosa.

E andar por aí de short, camisas sem manga e cabelos presos, mostrando para todos os olhos. Adoro quando me perguntam sobre as manchas na pele, apontando o indicador cheio de sobrancelhas e cenhos, e respondo com um sorriso. Sabe o que é, devo ter batido em algum lugar e esquecido, entende. É que sou muito distraída.

terça-feira, abril 18, 2006

 

Falta de assunto

As pessoas só querem uma história pra contar. Voltando para casa, no ônibus amarelo, vejo o dia ameaçando seus primeiros movimentos. É sábado. São sete da manhã, e pela janela o Aterro do Flamengo corre em qualquer direção -- estou tão cansada. Vinda da noite, a cabeça pulsa quando a roda embica num buraco. Os olhinhos são como pequenos filhotes, desprotegidos, abrem dolorosos mas logo piscam, num alívio de pálpebras fechadas. É que não suporto essa falta de assunto, e aqui penso que você talvez me entenda, não suporto essa cumplicidade, tanto silêncio, umas vontades. Ponho o rosto para fora do vidro e acho muita graça quando o vento escorre nas bochechas e nos cabelos, num vôo desengonçado de pássaro. Penso numa porção de coisas, em andorinhas sobre pontes, em meu medo secreto de pombos, em pernas dispersas pela cidade, só que isso eu não te conto, não. Invento brincadeiras com os dedos caminhando e circundando a estampa do vestido, acompanhando um estranho raciocínio, mas me censuro outra vez: isso não faz sentido, e você vai me achar louca. Vida pacata. E se eu pelo menos tivesse uma grande novela pra contar, mocinhas e bandidos, trama cheia de detalhes amarradinhos, para que quando eu entrasse no prédio o porteiro não me olhasse assim, torto. Uma cara de que eu sou tão nova e volto pra casa numa hora dessas, imagine, onde já se viu, já é de manhã, minha cara. Sorrio, insegura, oi. Mas se existisse história pra narrar, aí seria diferente. Voltaria muito prosa, a respiração compassada, os ombros naturais, bom dia Seu Valfredo, e não olharia para trás quando o portão batesse. Não haveria essa quietude, esse medo de pombos, esse enorme apartamento sem móveis.

Arquivos

Março 2006   Abril 2006   Maio 2006   Junho 2006   Julho 2006   Agosto 2006   Setembro 2006   Outubro 2006   Novembro 2006   Dezembro 2006   Janeiro 2007   Fevereiro 2007   Março 2007   Abril 2007   Maio 2007   Junho 2007   Julho 2007   Agosto 2007   Setembro 2007   Outubro 2007   Novembro 2007   Dezembro 2007   Janeiro 2008   Fevereiro 2008   Março 2008   Abril 2008   Maio 2008   Junho 2008   Julho 2008   Agosto 2008   Setembro 2008   Outubro 2008   Novembro 2008   Dezembro 2008   Janeiro 2009   Fevereiro 2009   Março 2009   Abril 2009   Maio 2009   Junho 2009   Agosto 2009   Setembro 2009   Outubro 2009   Novembro 2009   Dezembro 2009   Janeiro 2010   Fevereiro 2010   Março 2010   Abril 2010   Maio 2010   Agosto 2010   Junho 2011   Dezembro 2011  

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Assinar Postagens [Atom]