pra não ficar na gaveta

quarta-feira, fevereiro 18, 2009

 

a palavra repouso

começou com uma febre 38
depois umas pintinhas
vermelhas que cobriram
o corpo inteiro como uma
constelação como catapora
dizem que parece doença de criança
há dias só sei dizer repouso
não sei qual é a graça de ter 20
e dizer repouso
a casa inteira parece pequena
imagino que só para as gatas
deve ter graça ir de um cômodo
a outro, como quem visita
outro bairro, atravessa pontes

Comentários:
Repouse Alice, repouse aqui sua poesia vestida de menina usando fitinha no cabelo. Repouse cada segredo de beleza revelado nesses versinhos de cor alaranjado de fim de tarde, que é quando repousa o dia e a passarada vem fazer barulho nos quintais. Repouse e fique bem.

Beijos em ti, carinho sempre.
 
Esse pássaro-turbina 2.0 desce e faz pouso forçado
Gerando muitos joules de energia elétrica por segundo
 
tem graça ter 20 simm!!!!
singelo poema
parabéns
 
oh, dodói.
vim aqui dar uma conferida..
beijo!
 
gostei do seu livro, alice.
aguardo nosso próximo encontro para retribuir a gentileza com o meu.
beijo,
Dado
 
Interessante o pensamento nas gatas... Mais um belo poema, Alice, singelo e que traz serenidade.
Alyne Costa
 
Interessante o pensamento nas gatas... Mais um belo poema, Alice, singelo e que traz serenidade.
Alyne Costa
 
Putz, que chato, Alice...
Melhoras pra vc...
 
Seus poemas parecem acompanhar minha vida, às vezes. Não pela doença, mas pela casa pequena. Não só pela casa pequena mas pela nostalgia que transparece...
 
tão boa essa coisa despretensiosa nos teu poemas. é como na bossa nova. (e as gatas são assim mesmo, não perdem a pose). beijos
 
alice, tive catapora aos 14 e fiquei dias trancada em casa, me sentindo mais ou menos como você.
logo passa! mas o poema bonito de catapora fica de lembrança :)
 
alice, tive catapora aos 14 e fiquei dias trancada em casa, me sentindo mais ou menos como você.
logo passa! mas o poema bonito de catapora fica de lembrança :)
 
vou pegar catapora pra poder ter um pouco de repouso.
 
alice, esse repouso já é dos meus preferidos... você diz tanta coisa nesses versos simples, mas cheios de pontes.
 
incrível que hj eu tinha que parar aqui! por uma googleada sobre gavetas (por conta de uma oficina) e um link no blogue da ana guadalupe.
sim, eu tive catapora. com 21. e aprendi à época assistir até malhação e ficar boazinha. voltarei a te visitar. bom findi carnaval
 
Alice, postei esse poema no Contrabandistas de Peluche, www.anarusche.com. Se vc quiser que eu tire ele de lá, basta falar, sim? Vc é quem manda. Um abraço
 
"repouso" se transforma em tédio na imensidão da cama...às vezes sinto isso sem estar doente.(rs)
saludos, Anita.
 
você escreve com tanta leveza, alice.

sempre que te leio me dá a nítida impressão de que flutuo.

grande beijo
 
Belo texto, impressiona pela leveza. Quanto às gatas, não se engane, não sei as suas, mas aqui elas são bem rueiras.
 
suas palavras são um tanto inspiradora
 
Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]





<< Página inicial

Arquivos

Março 2006   Abril 2006   Maio 2006   Junho 2006   Julho 2006   Agosto 2006   Setembro 2006   Outubro 2006   Novembro 2006   Dezembro 2006   Janeiro 2007   Fevereiro 2007   Março 2007   Abril 2007   Maio 2007   Junho 2007   Julho 2007   Agosto 2007   Setembro 2007   Outubro 2007   Novembro 2007   Dezembro 2007   Janeiro 2008   Fevereiro 2008   Março 2008   Abril 2008   Maio 2008   Junho 2008   Julho 2008   Agosto 2008   Setembro 2008   Outubro 2008   Novembro 2008   Dezembro 2008   Janeiro 2009   Fevereiro 2009   Março 2009   Abril 2009   Maio 2009   Junho 2009   Agosto 2009   Setembro 2009   Outubro 2009   Novembro 2009   Dezembro 2009   Janeiro 2010   Fevereiro 2010   Março 2010   Abril 2010   Maio 2010   Agosto 2010   Junho 2011   Dezembro 2011  

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Assinar Postagens [Atom]