pra não ficar na gaveta

sábado, janeiro 31, 2009

 

no fundo do mar

essa foto em preto
e branco talvez não revele
as bailarinas de degas nem
as que giram nos camarins
do municipal: os tutus
são mais anêmonas, águas
vivas desfilando piruetas
no mar escuro.

as bailarinas
estão sempre com pressa
de nos confundir, cambalhotas
a olhos nus, truques
de mágica, passos em falso.
olhando de cima as saias
se abrem como origami, muitas
pontas, cada menina veste
um sol, cada sol bóia no céu
– tudo branco.

Comentários:
Talvez, o que mais me impressione em seus poemas, além dos temas não convencionais (adoro coisas não convencionais), seja o ritmo que levam os poemas...

"olhando de cima as saias
se abrem como origami, muitas
pontas, cada menina veste
um sol, cada sol bóia no céu"

a frase começa em cima, termina embaixo já iniciando outra, e vai tirando o fôlego do leitor, e dando um sutil duplo sentido que se nivela em um só... eu realmente me perco nestes seus poemas...
 
Este comentário foi removido pelo autor.
 
A Lílian disse tudo aí em cima... gosto muito do ritmo dos teus poemas, cheios de pontas e dobras nas palavras, como origami, mas ao mesmo tempo macios, sem nenhum passo em falso.
 
Essa coisa, sabe Alice, de bailarina mexe comigo... Adoro a imagem, a poesia que se desenha com os braços erguidos, o olhar dançando convicto com um sorriso no rosto, uma estampa de beleza, de magia. Ah, nem sei o que é isso, mas adoro, tenho essa poesia dentro de mim. E você me faz sorrir, com esses passos, esse plié de versos...

Beijos, querida.
 
Quanta beleza! :)
 
Alice,

O mar e as bailarinas tem tudo a ver. Dão um banho de ritmo.
Botei seu blog na minha lista de links, ok?

beijo!
 
Alice, fiquei encantada com a singeleza de seus poemas.
Pousam em nossa alma feito borboletas. Parabéns. Se tiver tempo visite meu blog.
Beijos na alma
Alyne Costa
 
Parabéns, Alice! Pelo mereciro (re)conhecimento. Me agrada também.
 
Olá,

vi a reportagem no caderno dez. Seu blog encanta! Parabéns! Posso colocar no link do meu?

Saudações,

Emília
 
que delicadeza ! muito lindo o poema marejado.
 
cheiro de céu
 
Muito me encantou a tua poética, um sabor feminino e moderno, sem máscaras ou subterfugios. Ana C. agradece.
 
vi a dança.
 
o branco pela mistura de sentimentos que a dança e a poesia misturadas oferecem... adoro o seu jeito de misturar frases em ingles com a poesia. A língua vira uma só, sem povo nem identidade, apenas ligada na mais pura simplicidade das palavras e no que elas ardem.

abraços...
 
Estou fazendo uma campanha de doações para criar uma minibiblioteca comunitaria na minha comunidade carente aqui no Rio de Janeiro,preciso da ajuda de todos.Doações no Banco do Brasil agencia 3082-1 conta 9.799-3 Que DEUS abençõe todos nos.Meu e-mail asilvareis10@gmail.com
 
Como é bonita sua poesia. É simples e faz todo o sentido. Você deve saber disso... parabéns. Virei leitor.
 
Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]





<< Página inicial

Arquivos

Março 2006   Abril 2006   Maio 2006   Junho 2006   Julho 2006   Agosto 2006   Setembro 2006   Outubro 2006   Novembro 2006   Dezembro 2006   Janeiro 2007   Fevereiro 2007   Março 2007   Abril 2007   Maio 2007   Junho 2007   Julho 2007   Agosto 2007   Setembro 2007   Outubro 2007   Novembro 2007   Dezembro 2007   Janeiro 2008   Fevereiro 2008   Março 2008   Abril 2008   Maio 2008   Junho 2008   Julho 2008   Agosto 2008   Setembro 2008   Outubro 2008   Novembro 2008   Dezembro 2008   Janeiro 2009   Fevereiro 2009   Março 2009   Abril 2009   Maio 2009   Junho 2009   Agosto 2009   Setembro 2009   Outubro 2009   Novembro 2009   Dezembro 2009   Janeiro 2010   Fevereiro 2010   Março 2010   Abril 2010   Maio 2010   Agosto 2010   Junho 2011   Dezembro 2011  

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Assinar Postagens [Atom]