pra não ficar na gaveta

segunda-feira, novembro 13, 2006

 
o desconforto que ele disfarça
em trocadilhos, como se
os pés tropeçassem
nos próprios cadarços, ruge

num hálito matinal de jejum,
vira de lado no travesseiro
e retoma a respiração. Depois
me encontra, sôfrego em qualquer
esquina ou linha
reta

mordisca um pedaço de
plástico ou papel, diz que
faz calor, que faz frio,
qualquer coisa que não diga
nada, e se despede em crises

de espirros, óculos escuros
para que não notem os olhos
salpicados em conta-gotas
avermelhados
gigantescos
dissimulados.

Comentários:
alice, que LINDO!
 
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
 
A-mei, li!
Top five.
Beijo!
Carol
 
Adoro seus poemas-retrato-3por4 (posso chamar assim?).
To de brogue tb! Aderi.
Aparece lá, apesar de vc já conhecer o texto que eu postei...O endereço:

ruacaiomario.blogspot.com

Beijo!
 
pode ser meu amanhã. acho que é melhor dormir.
no mais, aquilo de sempre. querer rio.

beijo, moça.
 
Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]





<< Página inicial

Arquivos

Março 2006   Abril 2006   Maio 2006   Junho 2006   Julho 2006   Agosto 2006   Setembro 2006   Outubro 2006   Novembro 2006   Dezembro 2006   Janeiro 2007   Fevereiro 2007   Março 2007   Abril 2007   Maio 2007   Junho 2007   Julho 2007   Agosto 2007   Setembro 2007   Outubro 2007   Novembro 2007   Dezembro 2007   Janeiro 2008   Fevereiro 2008   Março 2008   Abril 2008   Maio 2008   Junho 2008   Julho 2008   Agosto 2008   Setembro 2008   Outubro 2008   Novembro 2008   Dezembro 2008   Janeiro 2009   Fevereiro 2009   Março 2009   Abril 2009   Maio 2009   Junho 2009   Agosto 2009   Setembro 2009   Outubro 2009   Novembro 2009   Dezembro 2009   Janeiro 2010   Fevereiro 2010   Março 2010   Abril 2010   Maio 2010   Agosto 2010   Junho 2011   Dezembro 2011  

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Assinar Postagens [Atom]