pra não ficar na gaveta

terça-feira, abril 18, 2006

 

Falta de assunto

As pessoas só querem uma história pra contar. Voltando para casa, no ônibus amarelo, vejo o dia ameaçando seus primeiros movimentos. É sábado. São sete da manhã, e pela janela o Aterro do Flamengo corre em qualquer direção -- estou tão cansada. Vinda da noite, a cabeça pulsa quando a roda embica num buraco. Os olhinhos são como pequenos filhotes, desprotegidos, abrem dolorosos mas logo piscam, num alívio de pálpebras fechadas. É que não suporto essa falta de assunto, e aqui penso que você talvez me entenda, não suporto essa cumplicidade, tanto silêncio, umas vontades. Ponho o rosto para fora do vidro e acho muita graça quando o vento escorre nas bochechas e nos cabelos, num vôo desengonçado de pássaro. Penso numa porção de coisas, em andorinhas sobre pontes, em meu medo secreto de pombos, em pernas dispersas pela cidade, só que isso eu não te conto, não. Invento brincadeiras com os dedos caminhando e circundando a estampa do vestido, acompanhando um estranho raciocínio, mas me censuro outra vez: isso não faz sentido, e você vai me achar louca. Vida pacata. E se eu pelo menos tivesse uma grande novela pra contar, mocinhas e bandidos, trama cheia de detalhes amarradinhos, para que quando eu entrasse no prédio o porteiro não me olhasse assim, torto. Uma cara de que eu sou tão nova e volto pra casa numa hora dessas, imagine, onde já se viu, já é de manhã, minha cara. Sorrio, insegura, oi. Mas se existisse história pra narrar, aí seria diferente. Voltaria muito prosa, a respiração compassada, os ombros naturais, bom dia Seu Valfredo, e não olharia para trás quando o portão batesse. Não haveria essa quietude, esse medo de pombos, esse enorme apartamento sem móveis.

Comentários:
Nossa,entrei nesse percursso,nesse ônibus,nessa falta de asunto. Mas o que gostei mesmo foi a imagem dos olhinhos como pequenos filhotes!É demais!Como vc consegue fazer isso tão bem!
 
Ai Alice!!
que LINDO!
como você consegue?
AMEI!
te imaginei muito dentro de um 170, hehehehe

beeeijo, adoreeeei !
 
Ainda me lembro dos seus primeiros passos dessa sua real paixão pela escrita. Seus textos tem com certeza uma melhora mais do que gradativa. Hahuahua sei que essa comparação ñ eh mto do seu gosto mas vou me expressar pela matemática. Percebo seu amadurecimento como um p.g sempre se multiplicandoo...o que mais gostei foi a forma delicada e visional desse texto..seus detalhes por mais que sem intenção criam um clima...que se encaixa perfeitamente com o momento que vivenciou..ou que vivencia diariamente. Um pedaço de você e do proprio cotidiano comum de todas as pessoas. parabens mesmo.

bjs
tiago
 
Gostei do seu texto. Principalmente quando termina, "esse apartamento sem móveis". Também gostei da sua percepção ao estar cansada, quando tanto faz em que sentido o ônibus está indo...

Te espero no meu blog ;)
Beijos
 
lica! vc pediu e eu to avisando! passei por aqui!
tô feliz de não ter que esperar pra ir pra sau casa pra ler os contos! haha! (li o besa-me mucho, na beringela!)
esse foi o que eu mais gostei até agora!! te admiro e te gosto muito!
beijos de quem ta com muitas saudades!
 
Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]





<< Página inicial

Arquivos

Março 2006   Abril 2006   Maio 2006   Junho 2006   Julho 2006   Agosto 2006   Setembro 2006   Outubro 2006   Novembro 2006   Dezembro 2006   Janeiro 2007   Fevereiro 2007   Março 2007   Abril 2007   Maio 2007   Junho 2007   Julho 2007   Agosto 2007   Setembro 2007   Outubro 2007   Novembro 2007   Dezembro 2007   Janeiro 2008   Fevereiro 2008   Março 2008   Abril 2008   Maio 2008   Junho 2008   Julho 2008   Agosto 2008   Setembro 2008   Outubro 2008   Novembro 2008   Dezembro 2008   Janeiro 2009   Fevereiro 2009   Março 2009   Abril 2009   Maio 2009   Junho 2009   Agosto 2009   Setembro 2009   Outubro 2009   Novembro 2009   Dezembro 2009   Janeiro 2010   Fevereiro 2010   Março 2010   Abril 2010   Maio 2010   Agosto 2010   Junho 2011   Dezembro 2011  

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Assinar Postagens [Atom]